Empresas aéreas se juntam por acordo para retirada de barreiras entre Brasil e EUA

Spread the love




 

A compania aérea American Airlines e Latam Brasil se juntaram para tentar retirar as barreiras existentes em vôos entre Brasil e EUA, que impedem que somente alguns vôos sejam disponibilizados.

O acordo chamado de “céus abertos“, como o próprio nome já diz, visa eliminar a limitação existente de número de vôos, para que as empresas aéreas possam definir quando voar, conforme demanda, ampliando opções para consumidores e podendo baratear os preços das passagens.

Esse acordo tem apoio de várias empresas, com exceção da Azul e por algumas entidades de classe.

Esse projeto, foi assinado em 2011 por Dilma Rousseff e Barack Obama, presidentes naquela ocasião. O projeto já passou pela Casa Civil e Ministério de Relações Exteriores, mas aguarda há 1 ano pela Câmara dos Deputados e pelo Senado.

As empresas aéreas já se movimentam pensando numa decisão favorável pelo Congresso. Latam Brasil e American já fizeram um acordo para operação conjunta em rotas entre Brasil e EUA desde ano passado. Porém, por causa de uma determinação do governo norte-americano, o acordo ainda depende de umas mudanças nas regras no Brasil para poder entrar em vigor.

O acordo, poderia trazer menores custos ao consumidor e aumentar o comércio entre os países.

Já a empresa Azul, que é contrária ao projeto, explica que o motivo de não aderir é porque os pilotos americanos poderiam voar mais horas do que os pilotos brasileiros, e as empresas brasileiras perderiam competitividade nas rotas entre os dois países, “Teríamos que mudar as regras para jogar com as mesmas ferramentas”, afirma o presidente da Azul, John Rodgerson: “Seríamos favoráveis se tivéssemos as mesmas regras para os dois lados”.

“Já vemos uma melhora na economia. E o ‘céus abertos’ pode beneficiar bastante a economia, com aumento de fluxo de passageiros entre os dois países, com base em exemplos.”

As informações são de autoria de Letícia Fucuchima do jornal O Estado de São Paulo.

 

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *